Author

Anna Deise Lopes

Browsing

A segunda parte da minha viagem foi pra finalmente conhecer meu sobrinho. Minha irmã, Renata, mora em Empoli, na Toscana, um dos lugares mais lindos que já vi na vida.

Assim que cheguei ao aeroporto reencontrei ela, meu cunhado e fiquei louca pelo Alex (Alexsandro). Gente, que criança linda! E não estou apenas sendo tia babona. <3

Como já havia ido pra Itália em 2013, sabia que queria revisitar alguns lugares. Meu roteiro foi menor de propósito, pois a ideia era curtir a família.

Toscana

Dia 1: Chegamos na casa da minha irmã, larguei as malas e já fomos para Firenze. Eu amo esse lugar e o primeiro local escolhido foi a Ponte Vecchio, a mais antiga da cidade. Andamos por ela admirando o Rio Arno, as joalherias, pessoas sentadas, comendo, conversando e, claro, tirando fotos.

Finalmente voltei para rever a Ponte Vecchio

Seguimos nosso passeio pelas ruas próximas que são cheias de lojas, restaurantes e cafés. Chegamos na frente da Duomo di Firenze (Catedral de Santa Maria del Fiore) e eu sempre fico impactada com a beleza dessa igreja. Alguns suspiros depois fomos até a Piazza della Signoria, uma galeria de arte ao ar livre com muitas estátuas como a cópia de David, de Michelangelo.

Depois de entrar em todas as lojas que vimos pela frente, paramos na Piazza dela Repubblica. Lá fica o Carrossel mais famoso da cidade. Em seguida paramos no Eataly, que é simplesmente o maior centro enogastronômico do mundo. Imagina a minha cara olhando para pastas, azeites, queijos, vinhos, pães e mais um monte de coisa maravilhosa. Além de vender produtos artesanais vindos de toda a Itália, lá temos por exemplo, uma cafeteria e um restaurante.

Dica: pra mim é um dos melhores lugares pra comprar coisas pra trazer pra casa. Garantia de qualidade e muita coisa com preços incríveis!

O famoso Carrossel
Firenze

Dias 2 e 3: Fiquei em Empoli mesmo. Andei pelas ruas, entrei nas lojinhas e tomei finalmente um Gelato. O Armando, cunhado da minha irmã, estuda turismo e me levou ao Museu de Vidro, que conta sobre a produção de vidros, uma das principais características do lugar . Depois fomos ao Museo della Collegiata di Sant’Andrea que abriga uma coleção de obras de artistas como Filippo Lippi, Masolino da Panicale,Antonio Rossellino, entre outros.

Empoli
Eu, Renata, Armando e Alex (Não é lindo demais?)

Milano

Dia 4: Na terça, eu, minha irmã, Alex e Armando fomos para Milão. Foi minha primeira vez por lá e a gente tinha menos de 24 horas para aproveitar o que desse. Consegui rever a Gabh (minha sobrinha com uma história longa e por não ser minha e envolver a vida de outras pessoas, não me sinto à vontade em dar detalhes <3).

Assim que chegamos, deixamos as malas no hotel e paramos para almoçar no Mercato Con Cocina. As opções eram peixes e massas feitos na hora, além de um bufê vegetariano e uma estação de doces.  Eu super indico esse lugar. Estava tudo maravilhoso e achei os preços ok.

Mercato Con Cocina

Em seguida fomos andando até  Duomo de Milano, uma catedral católica romana em estilo gótico. Linda, imensa e absurdamente imponente. Compramos ingressos que dá direito a subir ao topo ,da parte externa, e a uma visita na parte interna (que deixamos para a parte da manhã do dia seguinte antes de voltarmos para Empoli). Que vista, que experiência!

Depois fomos ao La Rinascente, conhecido por abrigar marcas famosas como: Kenzo, Gucci, Dolce & Gabbana, e outras. A gente foi subindo pelo andares olhando tudo até chegar ao topo no Restaurante Maio. Foi uma das melhores experiências dessa visita. Ficamos na varanda aberta e a vista do restaurante é para Duomo, o clima super agradável e a comida gostosa e com preço justo. A decoração e as diversas opções de vinhos valem atenção especial. Coloque esse lugar na sua lista! Mesmo!

Em seguida visitamos a Galleria Vittorio Emanuele II. Restaurantes, cafés e lojas de moda como Prada podem ser vistas por lá. A grande curiosidade pra mim foi passar por uma imagem de touro no chão. Me falaram pra colocar o calcanhar do pé direito nos testículos do animal e dar voltas inteiras pois daria sorte! Claro que fiz.  Depois uma amiga me contou que fazendo esse movimento na verdade estamos pedindo fertilidade. Superstição ou não, vale o que você achar melhor. 🙂

Fonte nas ruas de Milão
Duomo de Milano
Restaurante Maio

Pra terminar o dia andamos mais um pouco e chegamos ao Castelo Sforzesco, construído na época em que reinava a família Visconti. Parece que com o tempo ele passou por várias transformações, mas garanto que continua lindo. Não chegamos a entrar no Castelo, ficamos pelo jardim, e ao chegar ao final uma surpresa: encontramos um Parque de diversões e foi incrível terminar o nosso dia por ali.

Dia 5: Acordamos cedo, tomamos café no hotel e voltamos pra Duomo. Visitamos a parte interna da igreja nesse dia e ficamos passeando pelo entorno. Por coincidência estava rolando a Milan Fashion Week (Semana de moda de Milano) e vimos muitas pessoas indo para um dos mais badalados eventos de moda. Logo em seguida paramos para almoçar e eu escolhi provar o tradicional risoto alla milanese. Depois já era hora de voltar para Empoli.

Risoto alla milanese

Dia 6: De volta a Empoli, foi dia de ir até Prato. Rodamos um centro de compras chamado Giglie, com lojas como Zara, Primark, OVS, e outras. Em seguida fomos almoçar na casa do amigo da Renata regado a queijos, salames e batatas da Calábria.

Dia 7: Oficialmente foi meu último dia, pois no dia seguinte teria que estar muito cedo no aeroporto. Resolvi então andar sozinha por Firenze. Caminhei sem rumo por todos os lugares que me deu vontade. Já disse e repito que foi libertador ganhar essa confiança de andar sozinha em outro país. Passei por uma rua onde só haviam as marcas mais badaladas do mundo como Prada e Valentino. Passei na porta da Boutique Nadini, um brechó super chique. Queria entrar pra conhecer, mas estava fechado. Almocei e voltei pra casa da minha irmã já bem tarde.

Se eu pudesse resumir essa viagem em uma palavra seria: superação. Foi muito foda poder me sentir livre, capaz, viva. Sei muito bem do privilégio que foi poder realizar isso e só agradeço. Mesmo na volta tendo passado um perrengue por terem perdido TODAS as minhas malas. Fiquei em choque, depois me “conformei” e no final elas apareceram kkkk. Se não for pra ter emoção, não seria a minha vida. 

Look mais minha cara impossível na Primark
Pasta maravilhosa que minha irmã fez <3
Itália, eu te amo Foto: Armando Siesto

Dicas Extras: 

Diferente da Holanda, o Wifi pelas ruas da Itália não era bom. Descobri apenas um ponto na Ponte Vecchio em que ele pegava muito bem. Nem nos restaurantes funcionavam direito.

O controle dos bilhetes dos transportes continua muito exigente.  Agora além de ficar com o seu bilhete em mãos para a qualquer momento mostrar que você comprou sua passagem, você precisa validar eles numa máquina antes de entrar no trem. Vale ficar atento! 

Além de indicar o Eataly como um lugar bem legal de trazer coisas locais pra casa, indico também uma rede de supermercados chamada Coop.

Agora aperta o play pra viajar comigo pela Toscana e por Milão.

Pin It