Algumas histórias de amor simplesmente não vão acontecer.

Outras precisam de um tempo para serem escritas.

Mas todas só se realizam quando dois corações estão livres.

Com que frequência duas almas dispostas se encontram?

A gente se vê por aí

Você precisa parar de tentar.

Eu não vou preencher o vazio que ficou aí. Esse pedaço que te arrancaram e que você está desesperado pra recuperar.

Não, eu não sou terapia nem cura pra sua dor.

Enquanto você achar que o alívio pra a sua solidão está em ter alguém no sábado à noite e do lado direito da cama, a ferida não vai cicatrizar.

Não sou remédio pra tornar sua melancolia crônica em intermitente. Nem pra ser o apoio imaginário da insegurança que ficou depois que ela partiu.

Enquanto você estiver procurando em mim o que via nela, não vamos conseguir nos entender e nossa história não vai começar.

Não, não se agarre a mim com essa esperança, que não é a de ser feliz comigo, mas a de ser feliz de novo.

Enquanto você acreditar que a felicidade a dois é a solução para a saudade que sente dela, vai continuar dormindo sozinho e mergulhando em piscinas rasas.

Não quero ser tudo de que você precisa. Quero ser uma escolha, não uma salvação.

Um dia, quando você descobrir que sua busca é por você mesmo, aí, quem sabe?,podemos tentar de novo. Quando você entender que estar bem consigo é fundamental para estar bem com o outro… Quem sabe?

Não pense que sou egoísta.

É antes o contrário. Entendo que só você pode trilhar seu caminho e encontrar suas respostas. Minha presença só atrasa seu percurso.

Não, eu não estou desistindo de você.

Só dando um tempo enquanto há tempo. Pra você se entender. Pra eu não me magoar. Pra você descobrir o que realmente quer. Vamos usar o tempo a nosso favor, somos tão jovens, temos tanto o que viver.

Não vamos fazer promessas.

A vida se encarrega de juntar o que deve estar junto e de levar embora o que não é pra ficar. No fim da sua busca, quem sabe o que será?

Não, isso não é um adeus.

Quando você descobrir o quão especial você é, quando enxergar no espelho o mesmo cara que eu vejo, se seu coração estiver pronto pra me receber – se ele ainda quiser me receber – podemos começar de novo.

Não, certamente, não é um adeus.

É só um jeito de dizer a gente se vê por aí; a gente se esbarra.

Eu sempre terei um sorriso para você.

ju hj.jpg

ju1.jpgJuliana Borel é aspirante a escritora e poeta. Pra ganhar dinheiro e pagar as contas é jornalista a maior parte da semana. Pra se inspirar gosta de ouvir Guns, trilhas sonoras e esbarrar por aí em pessoas interessantes. Seu blog procurasepoesia.blogspot.com.br é praticamente seu DNA.

Author

Write A Comment

Pin It