Semana passada fui assistir, com a Juliana Borel, a uma palestra no Veste Rio, evento de moda carioca. Sai de lá um tantinho esquisita rs, mas com um senso crítico aguçado.
Quando criei o blog não foi pensando em nada além de me desafiar, colocar pra fora uma Anna que estava renascendo.

Fiquei com tanto medo dos julgamentos. Pensei nas pessoas falando: quem é ela na fila do pão pra falar de moda, beleza, gastronomia… vida.

Bom, antes que eu esqueça de falar, sou jornalista. Diante disso, teoricamente, eu posso falar sobre tudo. Porém, a baixa autoestima sempre me levou para o caminho mais fácil: o de seguir o padrão, de não me expor, de ficar pensando primeiro nos outros e não em mim, e, com isso, não colocar pra fora as coisas que acredito.

Quando a gente se anula, traçar uma linha reta fica mais confortável. Mas veio a transformação. E no meio do caminho, eu li e vi tanta coisa legal até achar o que realmente eu acredito. E, definitivamente, não quero ser só mais uma pessoa que segue padrão. Eu quero poder me inspirar e inspirar reflexões que vão fazer a gente se gostar mais, se aceitar, se encontrar. Podemos estar no meio da multidão e, ainda assim, sermos quem a gente quiser ser.

Moda e beleza, pra muita gente, soa como algo vazio e fútil, e muitas vezes é. Mas gente, tem o outro lado. É desse que eu quero ficar.

Palavras como feminismo e empoderamento ecoam cada vez mais por aqui. Autoestima, transformação de dentro pra fora, também.

A moda (e qualquer outro tema) pode ser uma plataforma incrível e transformadora. Não é só look do dia, gente. Não precisa ser vazia…

O nome do blog InspiraTerapia traduz um pouco do que eu sempre quis passar, mas quero cada vez mais seguir essa proposta. Não tenho pretensão alguma, quero apenas escrever e poder, quem sabe, ser lida por uma, duas pessoas que seja. Por aqui, a transformação anda a pleno vapor. Me aceitando cada vez mais, trabalhando a autoestima, mas também questionando e transformando tudo aquilo que incomoda.

E aí, como um sinal, eu me deparo com esse link.

Tracie e Tasha Okereke. As irmãs gêmeas conhecidas como as it girls da favela por criarem looks incríveis com roupas customizadas e de brechó. Não bastasse serem uma inspiração fashion, as garotas de 21 anos querem construir um império com o empoderamento feminino.

“Fazemos os editoriais pra mostrar pra elas que você pode sim comprar uma roupa cara, mas isso não te define, você não vai ser menos foda se não tiver ela”, diz Tasha.

É disso que eu estou falando, é disso que eu quero falar.

img_5694

Empoderamento é… ter peitões e não se sentir mal em ir a praia ou piscina  pois está fora dos padrões impostos

fullsizerender_1

É usar turbante sem medo de ser julgada

img_5828

É ter o cabelo que você quiser

Author

2 Comments

  1. ô Linda!!!!! você é inspiração também, obrigada pelas palavras e energia…que possamos todas continuarmos a mudar o mundo! beijão, Tasha&Tracie

Write A Comment

Pin It