Casamos em 2010. Dois anos antes já estávamos envolvidos nos preparativos e, foi nesse momento que, comecei a notar uma grande dificuldade: referência para noivas negras. Era praticamente impossível encontrar imagens inspiradoras em revistas, sites, blogs, etc. Dava uma baita aflição, principalmente, quando eu gostava de uma maquiagem, mas só tinha referência de mulheres que não tinham o mesmo tom da minha pele. Com isso, só de pensar no trabalho que ia dar pra achar um profissional que soubesse me maquiar e fazer um penteado no meu cabelo (e olha que na época eu ainda relaxava) me deixava angustiada. Um salve para o Aureo de Sá, que saiu na frente mesmo com pouca (quase nenhuma) opção de produtos pra pele negra naquela época.

Eu estou falando sobre a maquiagem, pois sem dúvidas foi meu principal dilema. Mas vale reforçar no quanto isso abala nossa autoestima em todas as escolhas. É muito cruel não se enxergar no mundo! E antes que algum desavisado venha dizer que isso é algum tipo de vitimismo, já vou avisando que sou zero! Só quem vive sabe e sente, literalmente, na pele.

Quase tive um treco quando o nosso casamento foi publicado no blog Vestida de Noiva, da Fernanda Floret e, logo em seguida, na revista Noivas Rio. Eu não comemorei apenas por ver meu casamento naqueles lugares, que pra mim eram inalcançáveis, eu comemorei por saber que aquilo tudo estava mudando de alguma forma.

Crédito: Juliana Pessoa

Fico maravilhada quando, nos dias de hoje, abro uma revista, sigo uma conta do instagram ou um blog com milhares de inspirações para mulheres negras. A representatividade tão em voga é importante pra caramba! TER referências é fundamental para as nossas ESCOLHAS.

Celly Neves, minha amiga, linda de noiva. Crédito: Ma Monteiro

 

Write A Comment

Pin It